BEM  E  MAL  (2)

 

"O que é bondade aos olhos dos homens, é maldade aos olhos de Deus"  (Jesus Cristo)

 

 

No texto anterior, confessei que não tenho autoridade, como homem mundano, para julgar o que é "bem" e o que é "mal"; no entanto, há dentro de todos nós uma espécie de intuição, a Consciência de Cristo (aqui chamada de "EU", em letras maiúsculas), que conhece intimamente a Justiça Divina. Embora permaneça encoberto pela consciência do ego (egoísmo, aquela força que nos faz dizer: "eu sou fulano de tal"), muita gente comprova que o EU existe e vez ou outra manifesta-Se em nós, pessoas comuns, assim como o Sol aparece rapidamente entre as nuvens, nos dias nublados.

Levando em conta a experiência pessoal, sei que só podemos vivenciar o EU quando a mente está calma, isto é: quando não estamos pensando em nós mesmos, em nossos problemas, desejos, sonhos, etc.; quando não pensamos no passado e no futuro; quando, pelo menos momentaneamente, esquecemos ser ondas individuais e sentimos ser todo o Mar impessoal; quando as nuvens pesadas da agitação mental abrem pequenas brechas, por onde a luz do EU pode passar. Quem aproveita os momentos de quietude mental, para exercitar a autoatenção ou ouvir o Silêncio, começa a perceber que há lei e ordem (VERDADE) neste mundo de relatividades, limitado pelos cinco sentidos humanos. O resultado prático desta experiência, é a certeza indestrutível de que existem verdadeiras Paz e Felicidade, e que elas estão ao alcance do homem que eleva-se, espiritualmente, acima do egoísmo.

Por motivo que desconheço, umas poucas vezes fui agraciado com vislumbres relâmpagos do EU; assim, pelo que apreendi de primeira mão, sinto confiança para divulgar aqui o que é bondade e o que é maldade, aos olhos de Deus. Alerto que ainda não consigo viver de acordo com a Bondade Divina, mas estou me esforçando para chegar lá...

 

Caro(a) leitor(a), não te iludas. A personalidade que amamos acima de tudo; a sensação de ser uma pessoa que possui nome, corpo físico, sentimentos/emoções, razão/intelecto, recordações, família carnal e bens materiais; o hábito de pensar em si mesmo e depois, se sobrar tempo/espaço, pensar um pouquinho nos outros; tudo isto chama-se egoísmo e é a maior de todas as maldades, aos olhos do Criador; é o "pecado original". Inútil é fingirmos ser pessoas do bem, pois, para a Justiça Divina, que conhece todos os corações, o que nos condena ou absolve é o pensamento e não o ato. Então, de nada adianta o ego (o "fulano de tal") rezar na hora de dormir, dar esmolas e praticar quaisquer outros atos/rituais externos; o que precisamos fazer, antes de tudo isto, é purificar nossos corações, vencer o egoísmo, que é o responsável por tudo de ruim que existe dentro de nós: amor-próprio/autoestima, vaidade/orgulho, ódio, ganância, luxúria, etc., etc. Isto é uma guerra interior: nada fora da consciência de cada um, pode ajudar; é nossa natureza superior (EU), contra a natureza inferior (ego). Em todas as Escrituras Sagradas, do Oriente ao Ocidente, há relatos simbólicos da luta interna que todos os seres humanos têm que enfrentar, cedo ou tarde.

Se a maior de todas as maldades é viver para satisfazer ambições/impulsos/caprichos próprios, realizar sonhos, alcançar objetivos e gozar prazeres, então, a maior de todas as bondades, aos olhos do Altíssimo, deve ser renunciar a estes direitos. Esta conclusão explica a vida aparentemente absurda e sem sentido dos verdadeiros homens de Deus. Como exemplo, vou citar apenas o querido São Francisco de Assis, que trocou uma vida de luxo e prazer, pela austera e humilde condição de pregador itinerante/discípulo do Grande Instrutor. E, como ele, muitos e muitos outros santos e sábios, ao longo da história, nos têm mostrado que o caminho do Bem somente pode ser trilhado por aqueles que esquecem de (vencem a) si mesmos ("Quem busca o Reino de Deus, que renuncie a si mesmo, tome a sua cruz, e me siga" - Jesus Cristo).

Portanto, ao ajudar ou socorrer, se fazes propaganda de teu ato; se ficas esperando um "obrigado", um "parabéns", ou qualquer outra retribuição; se dás um prato de comida a um mendigo e ficas assistindo, gratificado(a), o alimento ser devorado; estas reações são maldade aos olhos de Deus, pois estás agindo visando satisfação/lucro pessoal. Ao contrário, se ajudares em anonimato e discrição; se não deres qualquer chance do ajudado/socorrido te agradecer; se não olhares para trás, no intuito de te orgulhar/exaltar pelos resultados de teus atos; estas reações são bondade, aos olhos de Deus.

 

Bem sei que é muito difícil aceitar que devemos renunciar à pessoa que sentimos ser, pois isto significa abandonar todas as nossas posses materiais, emocionais e mentais. Contudo, não há escolha, pois a consciência do ego individual é nosso maior inimigo, é o "adversário", o responsável pelo caos (interior e exterior) em que vivemos. Tanto isto é verdade que, inconscientemente, cada um quer livrar-se de si mesmo, nem que seja por algumas horas, e é por isto que gostamos tanto de dormir: durante o sono (sem sonhos), esquecemos o "fulano de tal" e suas mazelas.

Podes comprovar por conta própria: passa a dedicar um pouco de atenção à observação imparcial de teus pensamentos, sentimentos, palavras e atos, durante alguns momentos do dia. Se tiveres coragem, determinação e sinceridade para assim proceder, aos poucos adquirirás a certeza de que dentro de ti está a causa de todos os teus problemas/sofrimentos. E, como o egoísmo contaminou o mundo inteiro, impedindo que se manifeste, aqui e agora, o Reino de Deus (Paz e Felicidade), que maior mal pode existir? Cuidado agora, pois podes vir a concordar que o egoísmo é a praga da humanidade, mas este mesmo egoísmo vai tentar te convencer de que fazes parte da minoria que não é egoísta e que, portanto, nenhuma responsabilidade tens, pelo descaminho do mundo. Outro perigo que nos ronda são os profetas da autoestima e da motivação, que podem nos afundar ainda mais no reino sem Deus e, consequentemente, sem Paz, do amor-próprio/vaidade.

 

Se queres evoluir como ser humano, vencer a vida (e não vencer 'na' vida); e/ou se queres sinceramente ajudar o mundo, reflete e aceita que deves começar a dizer "não!" para ti (ego) e "sim" para teus semelhantes, sejam eles familiares ou não, amigos ou não, exatamente o oposto do que, provavelmente, fazes hoje. Nada mais precisamos fazer. Aqueles que já percorreram o caminho e alcançaram a meta da Vida garantem que, esta simples atitude, gradativamente vai enfraquecendo a natureza inferior (ego) e fortalecendo a superior (EU). Como mencionado em texto anterior, uma silenciosa vitória sobre o próprio ego é a maior bondade, aos olhos de Deus, que podemos praticar.

 

 

Textos relacionados:

Bem e mal

Misericórdia

Era uma vez, uma onda...

 

 

 

Senhor: que esta alma morra para a maldade (egoísmo) e, assim, ressuscite para a Bondade ("DEUS").

 

24/02/2011

 

http://quemsoueu00.blogspot.com/

www.000webhost.com