CONFIAR EM DEUS

 

No final das contas, o sofrimento é bom, porque nos desperta para o perigo que é depositar esperanças no "mundo" (ver OBS., após este parágrafo). Um ótimo exemplo atual é a comoção provocada pelo campeonato mundial de futebol. A torcida brasileira depositou, na seleção nacional, sua esperança de alegria, e mais uma vez o mundo decepcionou o homem... Isto não é novidade, pois decepção e sofrimento sempre vêm, cedo ou tarde, para todos que acreditam/confiam no mundo. Como alertado em ocasião anterior, deveríamos depositar nossas esperanças apenas no único "banco" totalmente seguro: Deus (neste web-sítio, os seguintes termos são considerados equivalentes: [1] "amar", "confiar em", "entregar-se a", "depositar esperanças"; [2] "Deus", "Poder Maior", "Criador", "Altíssimo", "Espírito", "Verdade", "Natureza", "Paz", "Felicidade").

 

OBS.: Segundo os Sábios, tudo aquilo que não é "Deus" (o "Espírito", em nós), é o "mundo" (ou "ego/mundo"), o qual pode ser dividido em dois:  [1] "ego" (mente + corpo) e  [2] "não-ego" (consequência do ego, isto é: o mundo que nos rodeia). A tal entidade, Jesus Cristo chamou de "adversário" ("Eu venci o mundo; o adversário não tem poder algum sobre mim"). Quem confia no ego/mundo, demonstra que não confia em Deus ("É impossível amar dois senhores"); então, está explicado por que sofremos tanto.

 

Não amar o mundo, como dito em alguns livros sagrados, não significa odiar tudo e todos. O ensinamento completo é que não devemos amar o mundo diretamente, através do ego: basta amar Deus, pois este é o verdadeiro Amor, que abarca toda a Criação/Existência. É comprovadamente notório que o inverso nunca ocorre: o amor egoísta, na realidade, se opõe ao Amor pelo Criador e por Sua Criação. Confiar em Deus definitivamente liberta o homem da dependência/escravidão ao mundo, como garante o Senhor Jesus: "Encontrareis a Verdade, e Ela vos libertará" (neste caso, liberdade significa fim dos sofrimentos). É muito difícil conseguirmos entender como praticar esta lição divina, na vida mundana, já que nós, pessoas comuns, só sabemos amar o mundo usando o ego (isto é: amamos o que nos é particularmente vantajoso/agradável e nada mais). Felizmente, de tempos em tempos Mensageiros do Altíssimo encarnam na terra e demonstram como amar sinceramente o mundo, consequência natural do Amor por Deus. O exemplo mais recente é o Sábio de Arunáchala, Bhagavan Ramana Maharshi, que viveu entre nós há menos de 100 anos. E foram mais de 50 anos vivendo unicamente com o propósito de ajudar, sem nada cobrar...

Segundo os relatos de devotos e visitantes, Bhagavan nunca foi visto nervoso, triste, preocupado, entediado. Ele passava a maior parte do tempo sentado no mesmo lugar, quase sempre silencioso, à vista de todos, dia após dia. Não era, entretanto, pesado e intimidador, o Seu silêncio; ao contrário, era pleno de Paz, contagiava o ambiente e penetrava nos corações. Nenhuma distração/paixão mundana perturbava a Paz de Bhagavan. Esta é a razão pela qual tantos seguiram/seguem Seus ensinamentos: porque obtiveram certeza interior de que Felicidade é possível sim, mesmo neste mundo tão infeliz. Garante Bhagavan: "Aquela Felicidade sem fim, que tanto ansiamos, está em nossos corações e não no mundo; basta acalmar a mente, para começarmos a senti-la". Como falar é a parte fácil de sugestões/conselhos, Ele devia provar a verdade de Suas palavras e o fez de forma inquestionável: vivendo, Ele mesmo, em Paz e Felicidade jamais abaladas, pois quem tem Deus em primeiro plano, no coração, está acima de mazelas/necessidades mundanas. Situações que poderiam provocar orgulho, ambição, ira, luxúria, dor, etc., foram experienciadas por Bhagavan; mas, Ele venceu todas elas, valendo-se apenas de Seu tranquilo e poderoso Silêncio. Sua vida é um exemplo perfeito da aplicação prática deste ensinamento do Cristo: "Não resistais ao mal". Nada, nem mesmo o câncer que matou lentamente o Seu corpo durante 16 meses, conseguiu macular a Paz de Bhagavan, que endossou a mesma boa nova de sempre: tal condição espiritual pode ser atingida por qualquer ser vivente e independe das circunstâncias da vida.

Seu Amor era tanto, que Ele não se aborrecia por ouvir, todo santo dia, as quase mesmas lamentações, as quase mesmas dúvidas, apresentadas por tantas diferentes pessoas que O visitavam. Havia duas respostas básicas, com algumas variações, sempre perfeitamente adaptadas à tendência espiritual do sincero interlocutor. Para benefício de todos que anseiam por Paz, gostaria de deixar aqui registrados alguns inspiradores ensinamentos de Bhagavan, baseados na trilha da devoção, ou autoentrega ao Poder Maior, os quais nos apontam um caminho seguro e infalível em Sua direção:

Deus carrega todo o fardo do mundo; o homem apenas imagina fazê-lo. Portanto, confia a Ele todos os teus sofrimentos e permaneças em Paz.

Não fiques ansioso, pois não é a tua vontade que faz as coisas acontecerem, na tua vida; é a Vontade de Deus, manifestando-se em ti.

Entrega teu destino totalmente nas mãos de Deus, não tenhas mais vontade própria; então, encontrarás a verdadeira Felicidade.

Quem não tem vontade própria, por Amor a Deus, pode viver perfeitamente feliz em qualquer lugar.

Deus sabe o que é melhor para cada um de nós, em qualquer situação; confiar Nele, sem vacilar, é a melhor solução para todos os problemas da vida.

Agradece a Deus também pelas coisas aparentemente trágicas, que ocorrem em tua vida, porque Ele sabe o que é realmente bom para ti.

A entrega total pode ser difícil, no início; mas, a entrega parcial é possível, já; e, com sinceridade e dedicação, ela crescerá até alcançar a totalidade.

Quanto maior a autoentrega, mais calma a mente, menor o ego; e ele, um dia, será totalmente dissolvido em Deus, e isto é Felicidade Eterna.

 

Talvez seja perceptível, agora, a qualidade do amor que sentimos por "Deus", de quem apenas lembramos na hora de pedir coisas materiais, proteção contra as calamidades da vida, ou milagres, quando somos vítimas delas (calamidades). A verdade é que o Criador não dá, às Suas criaturas, ninharias do mundo (casas, carros, saúde, dinheiro, proteção patrimonial/pessoal, etc.): estas coisas o mundo nos empresta, para nos manter sob seu domínio; mais tarde, porém, toma tudo de volta, sem aviso prévio. O Altíssimo quer nos dar, caso um dia confiemos Nele, tão somente Paz e Felicidade eternas e incondicionais, as quais pairam muito acima dos prazeres e sofrimentos do mundo...

 

 

 

Senhor: que tudo seja como queres e, não, como quero. Ensina-me a confiar em Ti, para todo o sempre.

 

11/07/2014

 

http://quemsoueu00.blogspot.com/

www.000webhost.com