ESPÍRITO E MATÉRIA

 

 

Existe um hábito profundamente enraizado em nós, tão enraizado que já tornou-se instintivo, que nos leva a crer que este mundo material, que agora vivenciamos, é obra da Força Superior, mais conhecida como "Deus". É comum tentarmos sensibilizar os outros através de imagens com belas paisagens naturais ou cenas comoventes, apresentando a conclusão de que toda aquela beleza/bondade é prova da existência de "Deus". Entretanto, não é isto que ensinam os Mensageiros do Altíssimo. Palavras de Jesus Cristo: "O que vem da matéria, é matéria; o que vem do Espírito, é Espírito". Ramana Maharshi disse, quase 2.000 anos depois, exatamente o mesmo, usando outras palavras: "A visão tem a mesma natureza do olho que vê". Relacionando os ensinamentos dos dois Mestres: o olho material (físico), enxerga o mundo da matéria; o olho espiritual, enxerga o mundo do Espírito (que engloba tudo, inclusive a matéria). Mas, o que será "olho espiritual"? Acho que é aquela força, dentro de nós, algumas vezes chamada de "Coração" (não o órgão físico).

Segundo as escrituras sagradas que conheço e os homens que admiro, DEUS é Espírito. Os sentidos físicos que dispomos para perceber o mundo (visão, audição, etc.), são de natureza material/mental e, portanto, de acordo com os ensinos de Jesus, Ramana e outros grandes guias da humanidade, estes sentidos estão restritos ao nível de consciência material (OBS.: nesta questão, alguns sábios não costumam diferenciar, "consciência material", de "consciência mental", pois ensinam que, a primeira, é consequência da segunda; então, para designar ambas, neste texto são usados os termos "matéria" ou "material"). Sei que é duro escrever isto, mas, como o intuito desta web-página é destruir nossas ilusões, lá vai: não é possível encontrar DEUS no mundo que vivenciamos diariamente, reino da matéria, das relatividades; DEUS (e Sua obra), sendo Espírito, não pode ser conhecido/percebido pela matéria. Todas as percepções e ações, atribuídas ao Altíssimo, captadas pelos sentidos físicos e interpretadas pelo intelecto/razão, são criações mentais, assim como nossos sonhos, que são totalmente reais, enquanto sonhamos. Pode ser perigoso crer naquele deus perceptível pela matéria, pois é em seu nome que muita gente mata e é morta. Além disto, é o cúmulo da pretensão/vaidade humana acreditar que, este mundo diante de si, é obra de DEUS, quando tal mundo varia de pessoa para pessoa. Quem são os afortunados que enxergam, com seus olhos físicos, o mundo de DEUS? O que cada um verdadeiramente vê/vivencia é o seu mundo particular, que é diferente dos mundos vivenciados pelos demais seres vivos. Por exemplo: quem observa um furacão de longe, diz: "Que magnífica e poderosa manifestação de Deus!"; mas, quem está no meio do mesmo furacão, pragueja: "Isto é obra do demônio!". Se o furacão fosse, realmente, obra de DEUS, não haveria opiniões divergentes sobre ele; se fosse obra do "demônio", idem. Tudo o que vemos, ouvimos ou sentimos, usando os sentidos físicos e o intelecto, é relativo, é particular, só é verdade para a própria pessoa. Procura conter, agora, a possível investida de tua natureza inferior (ego/mente), que pode provocar, em ti, aversão ao que está sendo exposto. O que lês, não são ensinamentos deste digitador; estou, apenas, apresentando uma interpretação pessoal dos ensinamentos sagrados. Ao final da leitura (e, se possível, de várias leituras), podes decidir se este texto é absurdo ou não.

Felizmente, afirmam também as escrituras e os Sábios, a natureza real do homem é espiritual, embora ela permaneça em segundo plano, encoberta pela natureza do ego (consciência "eu sou fulano de tal"). Infelizmente, é através desta última natureza que nós, homens não iluminados, vemos/interpretamos o mundo e, sendo ela individual e particular, na prática existe um mundo peculiar para cada ser consciente. Esta situação é reversível,  já que podemos conhecer o (viver no) mundo da Verdade Única e Absoluta ("Reino de Deus"), que está aqui e agora, diante/dentro de nós, desde que deixemos para trás a consciência que usamos neste momento, permitindo assim que possa manifestar-se, em primeiro plano, a consciência espiritual. Às vezes, este processo é involuntário e de curta duração, mas suficientemente forte para deixar marcas permanentes e, até mesmo, para provocar reviravolta na vida, como aconteceu com Ramana, com Francisco de Assis e também com Saulo, que, depois da conversão, ficou conhecido como Paulo de Tarso, quando este estava a caminho de Damasco (Atos dos Apóstolos, 9.3).

Como abrir caminho através da consciência inferior (ego), para que possa brilhar, em nós, a Consciência Superior, reino da Paz e da Felicidade incondicionais? De acordo com aqueles que têm autoridade no assunto, não há uma fórmula padrão, que sirva para todos. Cada um deve procurar o caminho correto para si, com perseverança e fé, fortalecendo-se com o incentivo do Grande Instrutor: "Quem procura, sempre encontra".

 

 

P.S.: Enfatizo que, em nenhum momento, foi dito neste texto que a Força Superior não está presente no mundo material. Citando novamente aqueles que alcançaram a Meta: o Altíssimo está em tudo e nada pode existir sem Ele. Aqui foi dito, sim, que nunca conheceremos Sua realidade (Verdade), usando os recursos disponíveis ao homem comum:  intelecto/racionalidade e sentidos físicos. Todavia, o fato de ser impossível a percepção do Espírito, pela matéria, não é motivo para desânimo. Este nível de consciência, no qual agora vivemos, é uma escola; e, assim como nas escolas convencionais todos querem "passar de ano", também devemos nos esforçar pelo diploma espiritual. Esta graduação é a missão maior de todo ser humano; foi para isto que a Criação nos concebeu. "Repetir o ano", na escola mundana, é considerado uma calamidade; entretanto, entra ano e sai ano, continuamos fracassando, repetindo o ano na escola da Vida. Apesar disto, anualmente damos parabéns uns aos outros, naquele dia chamado de aniversário, como se os repetentes do curso mais importante da Existência merecessem ser parabenizados...

 

 

 

Textos relacionados:

Relatividade e Realidade

Relatividade e Realidade (2)

 

 

Por mim, nada posso; mas, por Ti, EU POSSO.

 

26/05/2011

 

http://quemsoueu00.blogspot.com/

www.000webhost.com