FELICIDADE

 

 

Dizem que, se "corrermos atrás" do que queremos muito, com certeza conquistaremos aquilo. Todos querem ser felizes e passam a vida inteira "correndo atrás" da Felicidade; mas, quantos a alcançaram, no passado, ou alcançam, no presente, trilhando este caminho? A experiência de vida indica que obtemos somente prazeres temporários, nunca a tão sonhada Felicidade sem fim. Não é difícil perceber que, mesmo quem "vence na vida", desconhece o que é Paz e Felicidade.

Achamos que a Felicidade pode estar na aparente segurança que nos transmitem os bens materiais e o dinheiro; entretanto, os ricos têm muito dinheiro e muitos bens e, no entanto, sofrem dia e noite, por medo de perderem um pouquinho que seja, ou mesmo tudo, de um momento para outro (e a aflição constante deles é totalmente justificável, porque nenhuma proteção que o dinheiro pode comprar, tem poder para lhes dar a segurança que precisam).

Achamos que a Felicidade pode estar na satisfação de prazeres (gula, luxúria, orgulho, vaidade, etc.); contudo, pouco depois de nos rendermos a estes impulsos, vem o arrependimento pela fraqueza, retorna a habitual ansiedade e recomeçam os sofrimentos de sempre: necessidade por mais comida, mais sexo, mais honras, mais cuidados com a aparência, mais e mais etc. Aí então, esquecemos o arrependimento anterior e cometemos novamente o mesmo erro, fechando o ciclo da escravidão voluntária.

OBS.: A gula (que é o hábito/vício de viver para comer e, não, de comer para viver) foi oficialmente incluída no rol das atividades respeitáveis/diplomáveis e, agora, é conhecida pelos sofisticados termos "degustação" e "gastronomia".

Homens saturados de Amor e Compaixão pela humanidade nos alertam, desde sempre, de que estes caminhos não nos levam e nunca nos levarão, de maneira alguma, à verdadeira Felicidade. Palavras de Ramana Maharshi: "Buscar a Felicidade na realização de sonhos, nos bens materiais e nos prazeres pessoais, é tão absurdo quanto tentar apagar um incêndio usando gasolina e, não, água". Por nos entregarmos a estas ilusões, o "incêndio" da agitação mental, da ambição, da insatisfação e do estresse só aumenta, nunca diminui.

É uma pena que continuemos ignorando os ensinamentos e os exemplos de Vida, do Cristo Jesus e dos demais Cristos, menos conhecidos. O Grande Instrutor entregou-Se mansamente aos carrascos, abrindo mão da própria vida material, para nos ensinar o caminho da Felicidade. Ramana Maharshi deixou Seu corpo físico definhar lentamente até a morte, a mercê do câncer, para demonstrar que a verdadeira Felicidade independe até mesmo de saúde. Dia a dia, durante mais de um ano, Ele suportou a morte lenta, nunca reclamando e sempre transmitindo Paz aos devotos que o rodeavam, até mesmo no momento final. Infelizmente, poucos dão valor a tudo que sofrem por nós, os Mensageiros do Altíssimo...

 

 

 

Senhor: faz de mim um instrumento de Tua Paz.

 

20/09/2011

 

http://quemsoueu00.blogspot.com/

www.000webhost.com