LIÇÃO SOBRE A MORTE

 

(Diálogo sem voz, entre o Cristo Interior e a alma)

 

Senhor, tanto temo a morte! Por que, isto?

 

Filho, temes a morte devido à crença generalizada de que ela tira do homem tudo o que, erroneamente, ele acredita possuir. Quem conhece a Verdade, sabe que nada possui neste mundo, nem mesmo o próprio corpo, e encara a morte com naturalidade. Portanto, deves ser como o passageiro, durante uma longa viagem de ônibus: ele faz uso do veículo, talvez passe um dia ou mais usufruindo suas comodidades, mas não acredita ser seu proprietário; sabe que terá que desembarcar e nada do ônibus poderá levar. Embora não conheça o motorista, nele confia e relaxa. Pela janela, vê muitas paisagens, ora deslumbrantes, ora sombrias; porém, nenhuma o afeta, pois entende que elas aparecem diante de seus olhos e, logo, desaparecerão. Quando fores um simples passageiro na vida, encontrarás aquela Paz que nada pode abalar, nem mesmo a morte.

 

Como, Senhor, vencer algo tão profundamente enraizado no coração?

 

Te ensinarei três métodos, para venceres o medo da morte, e terás que escolher o mais conveniente para ti.

No primeiro, deves treinar para aceitar tudo com calma e resignação, por Amor a DEUS, até mesmo a morte, assim como exemplificou o "Sublime Nazareno". Dia a dia, sem angústia ou tristeza, meditar sobre o momento final, que inevitavelmente chegará. Se a vida vem da carne, esta mesma carne a tomará de volta, cedo ou tarde. E daí? Que a morte fique com tudo, que a carne te emprestou. Olha nos olhos da morte e tranquilamente diz: "Vem, estou pronto, não me assustas! Minha única posse é o Senhor e não tens poder para tirá-Lo de mim". Nunca implores por socorro mundano; afinal, Ele está contigo, em teu coração, ou não? Se estiver, de que socorro externo precisarias?

No segundo método, deves compreender que, se DEUS é Todo-Poderoso, se Ele é Todo-Bondoso, então a morte é Sua vontade, e esta é sempre justa e benigna, por mais incompreensível que pareça. Novamente, a via-crúcis do "Cordeiro de Deus" é um ótimo exemplo: neste caso, de humilde aceitação dos desígnios divinos. Quando a morte estiver cara a cara contigo, tranquilamente diz: "Senhor, Tua bendita mensageira chegou, para me levar. Estou pronto! Que seja conforme a Tua vontade e, não, conforme a minha". Não digas: "Senhor, tem piedade de mim! Me dá mais tempo! Tenho filhos para criar, um mundo para ajudar e sonhos para realizar!", já que tal argumentação indicaria falta de fé, na Justiça Divina, e egoísmo/vaidade. O Criador bem conhece as obrigações e necessidades de Suas criaturas, e suprirá tua ausência, onde eras ou serias necessário. O mundo continuará normalmente, mesmo sem tua presença.

No terceiro método, aquele possível apenas para as almas mais evoluídas, deves perceber que a verdadeira Vida não depende de corpo e mente, que são apenas vestimentas do Espírito. Tudo o que nasce, está fadado a morrer. O Espírito, contudo, existe desde sempre, nunca nasceu, e não depende de corpo e mente: Ele é eterno, imortal, universal; a morte não pode tocá-Lo. Quem libertou-se da identificação com corpo e mente, não se importa com o destino destas entidades: Ele é Espírito, é Verdade, é Vida. Ele e o "Pai Celeste" são UM. Jamais terá a morte diante de si, pois sabe que ela realmente não existe.

Aprende com as não humanas criaturas do Altíssimo; observa como a ninguém pedem socorro, quando percebem que o tempo acabou, que a hora chegou: tranquilamente deitam-se e aguardam o fim... Quando tua hora chegar, não ajas como os homens mundanos, que imploram pela sobrevivência da carne, que agarram-se a qualquer esperança de escapar da morte; antes, lembra-te do belíssimo exemplo dos animais dito "irracionais" e envergonha-te, se estiveres a fraquejar. Mantém o autocontrole e, o pensamento, nos momentos finais do Cristo Jesus, pendurado na cruz, mas em divina Paz, mesmo sob terrível sofrimento carnal e vergonhosas humilhações.

 

Como consolo para a morte, posso ter esperança de ressurreição, como nos ensinam?

 

Filho, não continues te iludindo. A única ressurreição dos mortos é esta: os espiritualmente mortos ressuscitam, como espiritualmente vivos. O apego à carne ainda é muito forte, em ti; por isto, desesperadamente te agarras à vã esperança de ressurreição carnal. Precisas libertar-te deste erro, para que finalmente, como o filho pródigo, percebas ser necessário dar meia-volta na vida e retornar à casa do Pai Celeste, que também é tua.

Consola-te com isto: o prêmio, por uma morte digna, como te ensinei, é o "Reino de Deus" ou a "Casa do Pai Celeste", apelidos para aquelas Paz e Felicidade eternas e inabaláveis, que todos anseiam alcançar...

 

 

 

P.S.1:

Neste mundo de relatividades, é normal a Verdade (DEUS) adaptar-Se ao grau de compreensão daqueles que A ouvem; mesmo assim, continua sendo a única e eterna Verdade. As aparentes contradições, nos métodos descritos acima, não os invalidam. Há mais de um caminho, para a mesma meta, porque há vários níveis de percepção espiritual, entre os homens. Por isto, no primeiro método, a morte é considerada mensageira do mal; no segundo, ao contrário, do Bem; e, no terceiro, ela nem mesmo existe. Quando perguntavam ao Sábio de Arunáchala, Ramana Maharshi, se estas e outras contradições não levavam ao descrédito os ensinamentos sagrados, Ele costumava responder algo assim: "Não se preocupe com contradições, discussões e polêmicas espirituais. Escolha o caminho que mais lhe atrai e siga-o com fé, determinação e sinceridade. Se fizer isto, você descobrirá, por sua própria conta, o que é a Verdade e, então, não mais precisará dos ensinamentos sagrados, porque você será a Verdade".

 

P.S.2:

 A identificação da consciência, com um corpo físico ("carne"), pode provocar este pensamento: "Que prêmio é este (Reino de Deus), que vou receber só após a morte? Depois que morrer, estou morto, nada mais posso aproveitar. Por que desperdiçaria a vida, me esforçando por isto?". Várias respostas prontas existem, porque esta dúvida é tão antiga quanto a busca espiritual. Nenhuma será citada aqui, porém, pois sei, por experiência própria, que as melhores respostas são sempre aquelas que, na hora certa, naturalmente despertam em nossos corações...

 

P.S.3:

A lição do diálogo acima é para todos e, assim sendo, são apresentados os três métodos. No entanto, não precisamos nos preocupar, desperdiçar tempo e energia intelectualmente analisando um a um, porque o Cristo Interior de cada alma sabe perfeitamente qual o melhor caminho espiritual, para ela, e decide por nós.

 

P.S.4:

Não apenas uma morte física digna (aos olhos do Altíssimo; não, aos dos homens) nos faz merecedores do "Reino de Deus". A sabedoria sagrada ensina que, se sinceramente "morrermos" para o egoísmo ainda nesta vida, também receberemos o mesmo divino prêmio.

 

 

 

Textos relacionados:

A Morte

 

 

24/07/2017

 

http://quemsoueu00.blogspot.com/

www.000webhost.com