PODER

 

 

Ainda pequenos, sob influência de opiniões/comportamentos dos mais velhos, começamos a conhecer tudo que parece ter poder sobre nós e acabamos adotando os mesmos pensamentos condicionados ("verdades") que os guiam, assim como eles os adotaram de outros, quando crianças, e assim regressivamente... mas, isto é outro problema, fora do tema em questão. A lista dos aparentemente poderosos é tão grande, que a conclusão é: somos miseráveis e indefesas criaturas, abandonadas neste mundo-cão apenas para serem lançadas para lá e para cá, aos caprichos dos seus poderes, como pequenos barcos em mar tempestuoso. Acreditamos ser tão fracos, que tememos até mesmo microscópicos germes/bactérias: ninguém mais pode beber água que não seja filtrada, esterilizada e purificada, apesar da garantia de Jesus: "O que entra pela boca do homem [alimento] não o contamina; o contamina, sim, o que sai de sua boca [palavras], pois ela fala daquilo do qual está cheio o seu coração [maldade]". Se coisas tão pequeninas (germes/bactérias) têm poder sobre nós, quanto nos abalam, então, as grandes, como o dinheiro?

Felizmente, há alguns homens, aos quais chamo "Destruidores de Ilusões", que ensinam o oposto do habitual (VERDADE), ou seja: o único poder que as coisas do mundo têm sobre nós, é exatamente o poder que atribuímos a cada uma delas. Exemplo: um médico prepara uma mistura de água com açúcar e oferece ao paciente, dizendo: "Esta é uma nova e poderosíssima droga, que vai curá-lo rapidamente. Confie em mim". Aquele que se fez doente, por ter atribuído poder à doença, acredita, toma a água açucarada e recupera-se em pouco tempo. Casos semelhantes devem frequentemente acontecer por aí e, neste exemplo, tal "milagre" ocorre porque a pessoa também atribui poder à água com açúcar, já que esta ou qualquer outro preparado/remédio, nenhum poder tem, por virtude própria. A verdade é que nada (exterior) tem poder em si mesmo, para nos ajudar ou prejudicar: está dentro de cada um, o poder para o seu próprio bem ou mal. Outro exemplo, este registrado no livro "Atos dos Apóstolos": Em Malta, Paulo de Tarso foi picado por uma víbora e as pessoas, que presenciaram o fato, ficaram na expectativa de que ele morreria em poucos minutos; no entanto, nada aconteceu, pois ele tinha consciência apenas do Poder Interior (DEUS) e nenhuma consciência de poderes exteriores (mundo). Mais um exemplo descrito no "Novo Testamento": enquanto Pedro teve fé no Poder Interior, ele caminhou sobre as águas, na direção de Jesus (o habitual poder que a água parece ter, de não sustentar corpos humanos em sua superfície, foi temporariamente ignorado por Pedro); no entanto, sua fé vacilou e, então, ele afundou, porque lhe ocorreu este pensamento condicionado: "Não tenho poder para andar sobre o mar".

Há muita gente naturalista, macrobiótica, "light", homeopática, etc., que atribui poderes curativos a alimentos/remédios específicos, e não poucas se dizem "cristãs"; porém, esquecem este ensinamento do Cristo: "Quais de vós, mesmo com todos os cuidados [exteriores] que tendes, podem prolongar por um segundo, sequer, as suas vidas?".

Não apenas nos "Destruidores de Ilusões" presto atenção, mas, também, em outros mestres: os animais. Observo como estes são simples e puros, pois não se enredaram em vida repleta de sofisticação/confusão, tal como esta que o ser humano construiu para si mesmo. Eles bebem água de qualquer poça e não são contaminados, não usam casacos ou guarda-chuvas e não ficam resfriados, conseguem sobreviver durante dias sem comer, não precisam de dinheiro, etc. Além de todos estes superpoderes, o mais lindo/impressionante é que o animal irracional não pede socorro ao mundo, quando está doente ou ferido: prossegue por conta própria ou, se impossibilitado disto, simplesmente deita-se e aguarda, confiante na vontade do Poder Superior. E nós, pobres animais racionais, como agimos nas crises? Em que poder confiamos? Nos tempos atuais, mal conseguimos sobreviver sem telefone celular, três refeições diárias (pelo menos) e plano de doença (plano de doença, sim, pois a saúde não precisa de um plano de saúde)...

 

Confiar apenas no Poder Interior é Liberdade/Paz/Felicidade; atribuir poderes ao mundo, significa escravidão e sofrimentos... Contudo, a mesma boa nova nos transmitem todos aqueles que realmente amam a humanidade: não é preciso correr de um lado para outro, para cima ou para baixo, tentando encontrar tal Poder, porque Ele está adormecido em nossos próprios corações; basta desviarmos a atenção, do exterior para o interior, sinceramente procurando-O dentro de nós mesmos ("O Reino de Deus está dentro de vós" - Lucas, 17.21).

 

 

 

Textos relacionados:

Quanto vale a vida?

O Poder  (P.S.)

 

 

Post-Scriptum:

O texto nº 5 ("O Poder"), publicado neste mesmo web-sítio, é um antídoto contra possível devaneio egoísta, que porventura ameace algum leitor do texto atual. Desde sempre, a Sabedoria Sagrada alerta que o Poder Interior (DEUS) não se estabelece nos corações desprovidos de pureza e sinceridade e, estas virtudes, tão somente podem ser alcançadas por mentes serenas, que nada desejam do mundo, que nada temem no mundo. Portanto, se te ocorrer o desejo de dominar o Poder Interior, para utilizá-lo em teu benefício mundano (egoísmo), estás fadado(a) ao fracasso e à decepção...

 

 

 

Ó, Senhor! O único poder pelo qual anseio é alcançar fé incondicional em Teu Poder, entregando esta vida em Tuas mãos...

 

22/09/2015

 

http://quemsoueu00.blogspot.com/

www.000webhost.com