RESSURREIÇÃO DE JESUS CRISTO

 

   

Recentemente, assisti ao filme "Em defesa de Cristo" ("The case for Christ", 2017). Fiquei negativamente surpreso, por saber que discutem sobre a autenticidade de Jesus baseando-se em Sua ressurreição carnal: apenas se esta ocorreu, Ele é o "Filho de Deus". Os ensinamentos dos Evangelhos, divinamente inspirados, não são ignorados apenas pelos autointitulados cristãos, pelos ateus e pelos judeus ortodoxos; teólogos e demais eruditos/intelectuais, que se interessam pelo, como dizem, "Jesus histórico", também tratam como irrelevantes, as palavras do Grande Instrutor. Preocupados com suas teorias, os estudiosos não percebem que, no contexto do Novo Testamento, os termos "vida", "morte" e "ressurreição" não devem ser literalmente interpretados. Exemplo: "Deixai que os mortos enterrem seus mortos. Vós, que quereis Vida, segui-me". Que mensagem quis, Jesus, transmitir? Mortos enterrando mortos? Querer vida? Não somos vivos? A confusão é grande, porque tentam entender textos espirituais usando a razão; contudo, estes só podem ser compreendidos/vivenciados no silêncio do coração...

 

No Canadá há, pelo menos, duas espécies de seres vivos que ressuscitam várias vezes durante a vida material, sem alarde. Quando se aproxima o rigoroso inverno canadense, rãs e lagartas se acomodam em suas tocas e tranquilamente deixam-se congelar (fantástica demonstração de autocontrole!). Após alguns dias, enclausuradas em gelo, nenhum sinal vital indica que estejam vivas: não há respiração, circulação e demais características físicas/metabólicas normalmente associadas à vida. Não creio que algum médico/veterinário hesitaria em atestar a morte daquelas pequenas criaturas. No entanto, quando chega a primavera, seus corpos aparentemente mortos descongelam-se e o "milagre" acontece: elas ressuscitam. Os ciclos de mortes e renascimentos se repetem, anualmente; mas, para rãs e lagartas isto é natural. Afinal, é digno de surpresa que o Todo-Poderoso tenha poder para ressuscitar Seus filhos? Sim, porque tudo o que existe é tão filho de Deus quanto o bendito Senhor Jesus.

 

Ressurreição material, portanto, nada tem de sobrenatural. Se a carne de Jesus realmente ressuscitou, ou não, o que importa? Somente o intelecto racional do homem, que não passa de ignorância sofisticada, valoriza algo que não surpreende qualquer outro ser vivente (pejorativamente chamados de irracionais e/ou inferiores).

A triste conclusão é esta: nós, os seres superiores, preocupados com ninharias, não prestamos atenção nas palavras, no exemplo de vida e na ressurreição espiritual do Sublime Nazareno. E, conformar nossas vidas com a Dele, seguir Seus passos, é tudo o que precisaríamos fazer para encontrarmos, aqui e agora, a verdadeira/única Paz (ou "Céu", ou "Reino de Deus", ou "Paraíso"). Como Ele ensinou e demonstrou, o que importa mesmo é renascer em Espírito e Verdade, e este renascimento está ao alcance de toda a humanidade, ainda nesta vida...

 

 

Textos relacionados:

Ressurreição dos mortos

 

 

07/02/2018

 

http://quemsoueu00.blogspot.com/

000webhost logo