O TESOURO E O CORAÇÃO  (2)

 

"Onde estiver o teu tesouro, lá estará o teu Coração"

 

 

Uma das frases mais belas, entre as mais belas proferidas em todos os tempos: "Onde estiver o teu tesouro, lá estará o teu Coração" (Mateus, 6.21). Mensagens espirituais sucintas como esta, dão margem a várias interpretações, mas que, sendo sinceras, não serão contraditórias. O significado que mais atrai este digitador é:  "Onde estiver o teu pensamento, lá estará o teu destino (carma)". Cheguei a esta interpretação observando o processo mental próprio (mundo interior) e o comportamento/atitudes (cuja causa são pensamentos) dos seres humanos próximos (mundo exterior). No plano da relatividade/dualidade, a frase poderia assim ser expressa: "Bons pensamentos, bom destino"; no plano da Unicidade, mais ou menos assim: "Nenhum pensamento, nenhum destino". Os pensamentos de hoje, modelam o destino de amanhã, e isto é escravidão, independentemente do destino ser "bom" ou "mau", segundo os conceitos mundanos sobre bem e mal. Portanto, quem quer livrar-se do carma, quem quer a Liberdade/Felicidade, deve exercitar a calma mental, até alcançar a consciência sem pensamentos (o chamado "Reino de Deus", pelo Senhor Jesus), onde impera a Paz, aquela Paz que o mundo não tem para nos dar, porque a desconhece.

Não nos precipitemos, afirmando que vida é impossível sem atividade mental/intelectual/racional, pois há o exemplo dos Sábios de todas as épocas, que provam ser isto possível, sim; e mais: Eles garantem ser, esta conquista interior (consciência não contaminada pela mente pensante), a verdadeira meta da vida, o primeiro tesouro pelo qual o homem deveria se esforçar, porque a posse deste tesouro acaba definitivamente com todos os problemas/misérias de seu possuidor ("Buscai, em primeiro lugar, o Reino de Deus, e todas as vossas necessidades serão supridas"  -  Mateus, 6.33).

Até mesmo nós, pessoas comuns, se nos dedicarmos à auto-observação imparcial, podemos perceber que, enquanto mantivermos a costumeira agitação mental que, devido à familiaridade, tornou-se agradável companheira, nunca alcançaremos as tão sonhadas Paz e Felicidade eternas. Tal conclusão está ao nosso alcance, pois já experimentamos a verdadeira PAZ, embora inconscientemente. Na verdade, a experimentamos todos os dias em que dormimos sem sonhar. A lembrança daquelas pacíficas horas, nas quais o ego/mente permaneceu inativo, imóvel, nos estimula a buscar a Paz em algum lugar; mas, o único lugar que conhecemos é o mundo sensorial que nos rodeia. Infelizmente, ao acordarmos do sono, acorda também o caldeirão mental dos desejos/sonhos/paixões (ego) e, com esta presença, Paz, Felicidade e Liberdade são impossíveis. Parafraseando o Cristo: "Não podeis servir a dois mestres, o ego (prazeres mundanos) e Deus (Paz); deveis escolher um deles". E qual deles temos escolhido?

Parar/interromper a atividade mental, vivenciar o "Reino de Deus" aqui e agora, é, como dito por algum profundo conhecedor da alma humana, "mais difícil do que parar o vento". Então, os Sábios fazem uma concessão à nossa fraqueza atual, e nos dizem para, paralelamente ao esforço por conhecer as causas da turbulência mental e erradicá-la de nós, cultivarmos pensamentos positivos, já que estes são menos prejudiciais do que os pensamentos negativos. Persistindo assim, inevitavelmente chegará o bendito dia em que poderemos, também, abandonar os pensamentos positivos e, então, viver em Paz ininterrupta.

Acho que pensamentos positivos, para serem úteis, devem provocar o mínimo de emoção/atração mundana (orgulho) e o máximo de devoção divina (humildade). A Sabedoria Sagrada ensina que o único alvo digno de nossa devoção é a Força Superior, conhecida como Deus, ou um de Seus representantes na terra. Mas, como identificar o primeiro ou um dos segundos? Como podemos evitar o depósito deste bem tão precioso (devoção), no "banco" errado? Pelo pouco que já consegui apreender, através da atenção interiorizada, arrisco esta opinião: se o símbolo da tua devoção te incita a mergulhar cada vez mais no mundo; se ele aumenta em ti a dependência (escravidão) aos prazeres/paixões ("tentações"), então escolheste o mestre/guia errado, por mais que algo dentro de ti diga que fizeste a escolha certa. Se o deus que achamos ser DEUS, fosse o mesmo do qual falam os Salvadores da humanidade, o mundo deveria ser um paraíso. No entanto, muitos absurdos e até mesmo crimes cometemos, em nome do deus de nossa imaginação. E nossos atos abomináveis não provocam remorsos, mas sim orgulho, pois estamos cumprindo a vontade daquele deus e, portanto, somos filhos mui amados por ele e merecedores de sua ajuda. Observa como quase todos se acham justos e bons, dignos da atenção/misericórdia divina. Até mesmo assassinos muitas vezes justificam-se dizendo que mataram por ordem de "deus"...

Se te intitulas cristã(o), não fica apenas cantando/proclamando aos berros a tua cristandade, pois esta é a parte fácil da religião, e pouco ou nada contribui para tua evolução espiritual. Nos momentos de dúvida sobre a verdadeira razão da existência, volta teu pensamento (tesouro) para a vida do Cristo Jesus, e saberás como verdadeiros cristãos devem viver. Aliás, ainda melhor é pensarmos Nele durante o máximo de tempo possível, pois então não estaremos pensando em (sofrendo por) necessidades imaginárias (desejos) e outras frivolidades. Estejas alerta, contudo, para evitar o habitual erro de considerar inalcançável, o Senhor Jesus, e lembra-te de que Ele disse: "Venham e sigam-me, todos aqueles que me amam; pois, quem me ama e segue, ama também o nosso Pai Celeste". Seguir o Cristo não significa acompanhar fisicamente o homem Jesus, pois este privilégio poucos tiveram, mas Libertação/Felicidade é para todos que fizerem por merecê-La. O Cristo mora nos corações de todos nós, embora encoberto pela ignorância (ego/mente), e pensar sobre o exemplo de vida do Sublime Nazareno é um dos maiores investimentos que podemos fazer, porque finalmente começamos a perceber qual é o tesouro que vale a pena nos esforçarmos para conquistar. Esta descoberta já é um grande alívio/progresso em nossas vidas, um enorme fardo deixado para trás: pelo menos estaremos parando de correr de um lado para outro, feito baratas tontas, feito ovelhas desgarradas, pagando muito por pouco; investindo tempo e energia, para obter apenas alegrias passageiras, migalhas de felicidade, esmolas que futuramente o mundo cobrará com juros e dividendos...

Não nos deixemos enganar por nós mesmos. Sim, por nós mesmos, pois o mundo só pode enganar quem quer ser enganado. A grande dádiva do Pai Celeste, para Seus filhos, é esta: o "Reino de Deus" (Paz e Felicidade eternas) não é propriedade particular de alguém; Ele é o prêmio que conquistam todos aqueles que, sinceramente, vencem a si mesmos (ego/mente), seguindo os passos do Grande Instrutor (ou outro Mestre do mesmo quilate) na jornada de volta para Casa, como ensina a parábola do filho pródigo (Lucas, 15.11). Os erros passados não importam, se dermos meia-volta na vida, como mostra esta mesma parábola. Repetindo o ensinamento do Senhor Jesus, citado em diversos textos da web-página "Os Destruidores de Ilusões": o Reino de Deus é o único tesouro que ladrão nenhum pode roubar, nem mesmo o maior de todos os ladrões, que é a morte física.

 

Que os tesouros que amamos, pelos quais não hesitaríamos dar suor/lágrimas/sangue/vida para conquistar e proteger, cada dia menos sejam as coisas deste mundo sem DEUS, pois, onde estiverem nossos tesouros, lá também estarão os nossos corações...

 

 

   

Senhor: bendito o dia em que fores o tesouro desta e das demais almas.

 

18/05/2012

 

http://quemsoueu00.blogspot.com/

www.000webhost.com